Jardim

Nandina domenstica


Generalitа


Nandina domenstica é um arbusto sempre-verde, ou semisempreverde, nativo da Ásia; tem uma forma arredondada, as hastes são eretas, fracas ou nada ramificadas e ostentam grandes folhas pinadas, constituídas por pequenas folhas ovais ou lanceoladas; No geral, a folhagem tem uma aparência muito elegante e delicada, assim como toda a planta. Cada haste individual carrega folhas apenas nos dois terços superiores, enquanto a base está vazia; a aparência compacta da planta deve-se ao fato de que, a partir do sistema radicular, novos ventosas brotam constantemente, o que contribui para manter a parte inferior da planta espessa. As folhas são finas, levemente coriáceas, verde claro; durante os meses de inverno, eles assumem uma cor laranja ou vermelha.
É comum encontrar uma variedade com uma cor vermelho-bronze, mesmo na nova vegetação. Na primavera, produz pequenas flores brancas, com anteras amarelas, reunidas em grandes cachos, seguidas de bagas vermelhas que permanecem na planta, mesmo durante os meses de inverno.

Origem e curiosidade de Nandina


A Nandina, também chamada de "Bambщ Sacro", tem origem na Ásia, onde ainda é amplamente cultivada hoje. De fato, no Oriente é considerado um símbolo auspicioso e, por esse motivo, é plantado em templos sagrados e usado para decorar altares. Foi William Kerr, um nobre escocês, que o importou para Londres do cantão em 1804, e a partir daquele momento ele criou em seu coração os ingleses que começaram a cultivá-lo em seus jardins. O nome "Nandina" foi atribuído a ela por um botânico svedere (Carl Peter Thunberg), um estudante de Linnaeus que distorceu o nome pelo qual é chamado no Japão, ou "Nan-Ten".










































Nome comum

Nandina
Nome botânico Nandina doméstica
temperaturas Temperatura mínima -5 ° C
exposição Sol cheio, meia sombra
Cor da folha Amarelo, vermelho ou verde
Período de floração primavera
Flores de cor branco
Frutos de cor Corais vermelhos
Período de frutificação Semente, enxerto
altura Até 2 metros

Exposição



As plantas de Nandina domenstica são arbustos rústicos, que não sofrem com o frio e também podem suportar temperaturas muito severas por períodos prolongados. A exposição ideal para este tipo de planta é a de um ambiente com muito sol e muita luz, para que possa receber luz solar direta durante as horas mais frias. Sendo uma planta resistente e resistente, pode suportar um clima frio, mas, se cultivada em vasos, deve ser protegida em um ambiente protegido ou protegida com a chegada das primeiras penalidades de inverno.

Rega



Os espécimes jovens desta variedade de plantas devem ser regados regularmente durante a estação quente, sempre esperando que o solo esteja bem seco entre uma rega e outra. As plantas que vivem há muito tempo podem ficar satisfeitas com a água fornecida pelas chuvas, embora possa ser necessário intervir com rega leve durante o verão, em caso de seca prolongada. Um argumento diferente deve ser apresentado para as plantas cultivadas em vasos, que requerem um suprimento maior de água, uma vez que não podem explorar a umidade natural de todo o terreno.

Terra



As plantas desta variedade ornamental particular preferem solos soltos, macios e muito bem drenados, pois podem ser afetados pela perigosa estagnação da água que pode ser formada. São arbustos pouco exigentes, que também podem ser adaptados ao solo comum do jardim, sem a necessidade de solo particularmente rico.

Multiplicação


A multiplicação dessas plantas geralmente ocorre por sementes, no outono; Também é possível propagar a nandina removendo alguns otários da base da planta, garantindo que cada otário tenha raízes bem desenvolvidas. Também é possível prosseguir com a multiplicação através de estacas semilenhosas no outono, tendo o cuidado de proteger as novas plantas em local abrigado, para que possam desenvolver e ganhar força antes do plantio final.

Pragas e doenças



As plantas de Nandina domenstica, embora rústicas, podem ser afetadas por pulgões, principalmente durante os meses de primavera; com o calor do verão sob as folhas, os ácaros podem nidificar.
Outro problema é o relacionado a doenças fúngicas que podem surgir devido à umidade excessiva e que podem comprometer irreparavelmente a saúde da planta.

Cobertura de Nandina


Nandina é geralmente usado no jardim como uma cerca viva, em vasos ou em campo aberto. Se você cultivar Nandina em vasos, o crescimento pode ser mais lento e mais irrigação e preenchimentos podem ser necessários.
O ideal seria cultivá-lo no chão, cavando buracos e plantando as mudas adquiridas, tendo o cuidado de respeitar uma distância média entre as várias plantas de pelo menos 50-60 cm; esse requisito se deve ao fato de ser um arbusto que atinge uma altura bastante alta. Para ter uma bela cobertura Nandina, o solo, além de ser bem drenado, deve ser exposto ao sol ou à sombra parcial.
Uma floração abundante garantirá uma bela produção de frutas vermelhas que permanecerão na planta durante o inverno, tornando seu jardim mágico durante as férias de Natal.

Variedade Nandina



As variedades mais difundidas de Nandina no mercado são essencialmente quatro: a Nandina domestica "Alba", caracterizada por bagas de cor creme em vez de folhas de coral vermelho e verde, a Nandina casa "poder de fogo" com um hábito compacto e baixo, possui folhas gibosas e cores típicas do outono.
Essa variedade precisa de uma exposição mais sombreada que as outras. o Nandina "Atropurpurea Nana" com um hábito mais compacto que os demais e folhas jovens de cor púrpura-avermelhada.
Finalmente o Nandina "San Gabriel" ou "Filamentosa", mais raro de encontrar do que os anteriores, caracterizado por folhas muito estreitas, semelhantes às de bambu. Esta variedade não dá frutos, mas a folhagem assume uma bela cor roxa no outono.

Nandina domenstica: Toxicidade



Nandina é caracterizada pela toxicidade de todas as suas partes que contêm ácido cianídrico. Este ácido é muito venenoso e pode ser fatal se ingerido. A planta é considerada não tóxica para os seres humanos, no entanto, as bagas são muito tóxicas para animais domésticos e animais de pasto.
o toxicidade de baga É devido à presença de alcalóides como a nantenina, uma molécula que bloqueia os efeitos do MDMA negativo para os animais. As bagas não são tóxicas para as aves que, alimentando-se delas, contribuem para a dispersão das sementes da planta através de seus excrementos. De qualquer forma, mesmo para os pássaros, uma indigestão de bagas de Nandina pode ser fatal.


Vídeo: JARDINERIA - Nandina Doméstica (Junho 2021).