Generalitа


Cambria é uma orquídea bastante difundida no mercado e, dada a sua adaptabilidade, pode ser recomendada para iniciantes neste tipo de cultivo. As condições presentes nos apartamentos são quase sempre adequadas para o seu crescimento e, com algumas precauções mínimas, também teremos a sorte de vê-lo florescer com frequência.
Esse gênero de orquídeas não existe na natureza, mas provém da hibridação entre algumas espécies, como Oncidium, Odontoglossum e Miltonia. Por esse motivo, eles existem Cambria com as mais variadas flores, com flores pequenas, médias e grandes, tigradas ou de uma única cor: amarelo, vermelho, rosado e branco.
Eles produzem pseudobulbos alongados, bastante grossos, dos quais ramificam algumas folhas em forma de fita, não muito longas; na primavera e no verão, entre as folhas, desenvolve-se um caule fino e ereto, com até 30-40 cm de comprimento, com numerosos brotos, que florescem em sucessão. Após a floração sob o caule, um novo pseudobulbo se desenvolve.
Fáceis de cultivar, são fáceis de encontrar em viveiros. Após a floração, é possível cortar o caule com as flores, abaixo das quais um pseudobulbo inchado e bem rígido se desenvolverá; quando os pseudobulbos estão bem desenvolvidos, colocamos as plantas em local fresco, evitando a rega com muita frequência, por pelo menos 8 a 10 semanas, dessa forma favoreceremos a produção de um novo caule e a nova floração no ano seguinte.

Exposição



elas são cultivadas em um local claro, mas longe da luz solar, o que pode causar queimaduras visíveis nas folhas. A temperatura ideal durante o período vegetativo, de março a setembro, é de cerca de 18 a 20 ° C; durante os meses frios, é aconselhável colocar as plantas em um local mais fresco, com temperaturas entre 10 e 15 ° C.
A exposição ideal para um crescimento rápido e harmonioso deve ser extremamente brilhante, evitando, contudo, o sol direto (especialmente nas horas centrais do dia ou nos meses de verão). O conselho é, em casa, colocá-lo perto de uma janela para o sul ou oeste, para ser possivelmente blindado com uma cortina de cor clara em momentos de brilho máximo.
Durante o verão, é possível mover a panela para fora, sob um pátio ou à sombra de uma árvore de folha caduca.

Rega


De março a setembro, regue regularmente, todas as semanas, se possível por imersão ou por imersão dos vasos em água por alguns minutos, colocando-os em local seco; durante esse período, fertilizaremos as plantas a cada 25 a 30 dias, com fertilizantes específicos para orquídeas. Durante os meses frios, regamos cerca de uma vez por mês, ou até menos, se as plantas são mantidas no local com temperaturas abaixo de 10 ° C.
Durante o período vegetativo, o substrato deve estar sempre levemente úmido: geralmente é necessário intervir uma vez a cada 7 a 10 dias, monitorando se as raízes não se tornam muito prateadas. No inverno, pode ser suficiente até uma vez a cada 20 dias.
Pode ser irrigado por cima, mesmo que o método de imersão seja frequentemente mais seguro (permitindo que ele escorra bem).
A umidade ambiental é crucial para a saúde da planta, principalmente quando as temperaturas aumentam. As vaporizações frequentes são excelentes, mas também podemos usar umidificadores elétricos ou colocar o frasco em um recipiente cheio de argila e água expandida (evitando que isso entre em contato com as raízes).
Para todos os usos, é essencial usar água da chuva ou água desmineralizada.
















































































Solo e substrato


são espécies epífitas, que gostam de solos moles e muito bem ventilados; geralmente um substrato constituído por cascas, pedaços de fibra de coco ou osmunda, é utilizada turfa esfagno. Plantas muito grandes podem precisar de repotting, vamos intervir após a floração.
Sendo epífita, requer um substrato praticamente inerte. Geralmente, é usada uma mistura de casca (casca de pinheiro bem lavada e esterilizada, deixada de molho por muito tempo), turfa esfagno e perlita. No entanto, também podemos optar por poliestireno ou outro material inerte. Uma excelente opção também é a criação de uma "jangada" amarrando as raízes na madeira e esperando que elas se enrosquem (como na natureza).

Multiplicação



: acontece pela divisão dos tufos, cada pseudobulbo, fornecido com uma raiz vigorosa, será dividido a partir do tufo e repotido individualmente.

Pragas e doenças


ácaros do medo e cochonilha; condições de pouca ventilação, baixa umidade ambiental ou umidade excessiva do pão moído podem fazer com que as folhas sequem e também a podridão das raízes e dos pseudobulbos.

Clima



O Cambria não exige um clima específico: eles encontram uma localização perfeita em um apartamento com aquecimento moderado. Durante a estação de crescimento, de março a novembro, é bom estimular o crescimento, manter as temperaturas constantemente entre 20 e 25 ° C. Um ambiente mais frio fará com que fique adormecido (no entanto, é recomendável nunca ficar abaixo de 8 ° C). Calor excessivo pode causar desidratação, especialmente se a umidade ambiente for baixa.

Repotting of Cambria


A repetição geralmente ocorre a cada dois anos, para não perturbar excessivamente o sistema radicular. Geralmente ocorre na primavera, quando os novos jatos emitidos pela planta medem alguns cm.
Umedecemos muito bem o substrato e esperamos que as raízes fiquem macias antes de extrair tudo, para minimizar os danos. Examinamos e eliminamos cuidadosamente todas as peças que estão mortas ou com sinais de podridão. Sempre usamos tesouras afiadas e desinfetadas. Finalmente, espanamos produtos adequados (propamocarb, fosetil-al). Como alternativa (especialmente se não houver problemas sérios), também podemos optar por uma colher de chá de canela em pó.
Evitamos irrigar por pelo menos 10 dias, possivelmente ajudamos a planta com vaporizações foliares frequentes.

Vaso de orquídea cambria


É sempre bom preferir vasos que não sejam muito grandes e transparentes, porque eles permitem monitorar o estado das raízes e evitar a estagnação da água. O mesmo recipiente pode ser reutilizado, mas após uma desinfecção cuidadosa. Vamos garantir que haja muitos furos para a drenagem e a aeração da água.

A CAMBRIA EM BREVE
Família, gênero, espécie Orchidaceae, híbrido, x Cambria
Tipo de planta Orquídea epífita
origem Híbrido comercial
folhagem persistente
utilização Planta de interior
Altura na maturidade 40-50 cm
Taxa de crescimento 40-50 cm
manutenção mídia
Necessidades de água Médio-alto
Temperatura mínima 8-10 ° C
Temperatura ideal no período vegetativo 20-25 ° C
Temperatura ideal no descanso vegetativo 16 ° C
exposição Muito brilhante, sem sol direto
terra Casca, turfa esfagno, agriperita; materiais inertes
fertilizante Equilibrado, a cada 20 dias
pH do solo ácido
Umidade do solo fresca
Umidade ambiental alto
propagação Divisão pseudobulbos





















O CALENDÁRIO DA CAMBRIA
repotting Fim do inverno (fim do inverno)
floração Abril-maio ​​(mas também é possível em outros meses)
Descanso vegetativo Novembro-fevereiro
divisão Fim do inverno (no recomeço vegetativo)

Fertilização de Cambria


Cambria quer fertilizantes específicos para orquídeas: NPK 20-20-20 são recomendados. Eles devem ser administrados a cada 20 dias, umedecendo bem o substrato primeiro (para evitar queimaduras).

Cambria: Como fazer Cambria florescer novamente


A maior dificuldade nessas plantas consiste em obter novas flores, ano após ano (mesmo que a Cambria seja espontaneamente muito florífera). O segredo está em reproduzir o clima em que seus antepassados ​​viviam: simulando uma estação de inverno leve e induzindo descanso vegetativo.
Na prática, a partir de novembro-dezembro, movemos o vaso em uma pequena sala aquecida (de 12 a 16 ° C) e pouco iluminada, regulando a irrigação de acordo. Em fevereiro-março, vamos voltar às condições normais: um caule deve ser produzido a partir dos pseudobulbos produzidos no verão anterior.
No apartamento, o ciclo pode ser forçado a qualquer momento, monitorando temperaturas e brilho.


Vídeo: Coheed and Cambria - Welcome Home Official Video (Junho 2021).